Projeto social do BOPM chega às cidades do Litoral Norte


_midia_Imagem_00019639Consolidado em 18 municípios da região do Vale do Paraíba e reconhecido pelo Prêmio Mario Covas 2013, o programa de Polícia Comunitária “Despacho Social do Boletim de Ocorrência da Polícia Militar (BOPM)” também foi adotado nas quatro cidades do Litoral Norte de São Paulo – Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba.

O projeto auxilia diversos órgãos públicos na identificação e fiscalização de crimes, principalmente os ligados à saúde e ao meio ambiente. A partir do registro de ocorrências da Polícia Militar, o chamado BOPM, a corporação despacha o documento aos setores responsáveis por providências de regularização e inspeção, como Prefeitura, Conselho Tutelar, secretarias municipais, entre outros.

“Essa prática de policiamento comunitário está se consagrando nessa região do interior do Estado”, conta o Comandante do Policiamento do Interior – 1 (CPI-1), coronel Cássio Roberto Armani. “É a nossa maneira de fazer algo a mais pela nossa comunidade.”

Para fazer esse “algo a mais”, o coronel Armani decidiu tornar o criador do Despacho Social, major Felipe Neri Vani, comandante do 20º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM/I), que atende as cidades do Litoral Norte. “O coronel Armani me disse: ‘agora você vai descer para o litoral e implantar o Despacho Social para que a gente alcance os mesmos bons resultados do outro batalhão’”, conta o major.

“O programa está funcionando e estamos fazendo os relatórios, que começarão a mostrar resultados depois das audiências”, afirma. A partir de 2014, haverá um acompanhamento estatístico das novas ações realizadas em Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba.

Armani explica que é necessário investir ainda no policiamento comunitário para obter melhoras na produtividade, assim como na redução dos índices criminais. Segundo ele, haverá outros projetos sociais em todos os seis batalhões da região, espalhados por São José dos Campos, Taubaté, Caraguatatuba, Lorena e Jacareí.

_midia_Imagem_00018600O Despacho Social

Quanto capitão, em 2007, Neri Vani criou o programa social na cidade de Cruzeiro – distante 220 quilômetros da Capital. Posteriormente, o Despacho foi implantado em outros municípios: Aparecida do Norte, Arapeí, Areias, Bananal, Cachoeira Paulista, Canas, Cunha, Guaratinguetá, Lagoinha, Lavrinhas, Piquete, Potim, Queluz, Roseira, São José do Barreiro e Silveiras.

Nessas cidades, a Polícia Militar tem contato direto com a Prefeitura. Aos gabinetes, são encaminhados relatórios de “vulnerabilidades sociais”. Os documentos são levantamentos e análises dos atendimentos de ocorrências policiais militares, como as que envolvem drogas e álcool.

Casos de violência contra a mulher, o idoso, a criança e o adolescente são encaminhados às autoridades responsáveis. Outros tipos de problemas – 27 no total -, como os relacionados à infraestrutura, por exemplo, também fazem parte do programa.

Apenas no ano de 2012, uma das companhias do 23º BPM/I enviou cerca de 470 casos de problemas sociais às 18 prefeituras locais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s