Cinco policiais militares são presos por morte em Campinas


1560512_724356307584675_2052885447_nUma investigação conjunta das polícias de São Paulo resultou na prisão de cinco policiais militares suspeitos do homicídio de um adolescente de 17 anos, em Campinas. De acordo com o secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, eles também são investigados por outras 12 mortes na cidade.

As apurações são conduzidas pela Corregedoria da Polícia Militar, pela Polícia Civil e também pelo Ministério Público (MP). A prisão temporária dos cincos suspeitos, ocorrida na quarta-feira (29), foi autorizada pela Justiça.

“O esclarecimento desses crimes é uma prioridade”, afirmou Grella durante entrevista coletiva na tarde de hoje na sede da 1ª Delegacia Seccional de Campinas.

“A Secretaria da Segurança Pública, as polícias e o Governo do Estado não toleram erros e desvios de conduta por parte de policiais. A tolerância contra a corrupção e crimes é zero. Comprovado o envolvimento, os policiais serão expulsos e responderão a processo criminal”, disse o secretário.

O adolescente de 17 anos foi baleado na noite do dia 16 de janeiro. Ele foi socorrido ao Hospital da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde morreu.

“Foram 15 dias de investigações ininterruptas, com trabalhos de campo e inteligência”, destacou o delegado Licurgo Nunes Costa, diretor do Departamento de Polícia Judiciária 2 (Deinter-2).

De acordo com o coronel Carlos de Carvalho Júnior, do Comando de Policiamento do Interior 2 (CPI-2), a própria tropa do batalhão auxiliou nas investigações, com informações compartilhadas com a Corregedoria.“Nós [policiais militares] não admitimos esse tipo de conduta na nossa corporação”, declarou.

O promotor de Justiça que acompanha o caso, Ricardo Silvares, destacou o empenho do trabalho de policiais que “viraram a madrugada analisando imagens de câmeras de segurança” e a integração entre as corporações para esclarecer os crimes.

“Isso [a inteligência e a integração policial] nos dá muita segurança em relação ao que foi apurado.”

As investigações prosseguem para identificar os autores das outras 12 mortes ocorridas na mesma região da cidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s