A prova no deserto


Quem já ligou para a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP), provavelmente já ouviu uma frase de boas-vindas tida como tradicional pela equipe do governo: “Imprensa, boa tarde, Maria José”. O tom do ponto final pode parecer uma interrogação, dando a impressão de um tímido e oculto “o que deseja?”.

A voz que fala é de Maria José, funcionária pública estadual há 32 anos, que já trabalhou no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo, e hoje é a secretária da redação do gabinete da Segurança. Mais conhecida pelo apelido, Zezé tem 59 anos e carrega uma história cheia do que chama de “sobrenatural”. Tudo que acontece com ela é diferente.

Há alguns anos, ela foi vítima do câncer de mama, o tipo de tumor que mais causa mortes de mulheres no Brasil e também no mundo. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que, este ano, sejam registrados mais de 57 mil casos no país. As maiores taxa devem aparecer no Estado de São Paulo e no Rio de Janeiro.

Se o delegado Wagner Giudice, diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), costuma brincar, ao telefone, dizendo que o pedido dela é quase uma ordem, cabe a nós também ouvir quando ela quer falar. E aqui, damos esse espaço. Veja:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s