Ave!

Papagaiada –
o olhar de um pássaro
pedindo goiaba.

Nota: estaremos de folga e sem atualizações até 6 de maio.

Continuar lendo

Ponto

Flutua a folha,
pousa em minha cabeça –
fila do outônibus.

Continuar lendo

Concerto

Um grilo canta
serenata aos pernilongos –
noite de verão.

Continuar lendo

Prosa porque não consegui versos

O homem e a mulher, quando se amam, são como a composição de uma poesia, ele e ela em versos intercalados. Ainda que tudo seja diferente, a rima torna os fins iguais e é isso o que os completa.

Continuar lendo

Dorianas paulistanas

A cidade está morrendo.
Vermes já estamos corroendo suas entranhas.
Tudo começa a apodrecer ao redor.
O corpo frio perde as cores.
Como as paredes dorianas, fica cinza.

Continuar lendo